DIRETORES DA FENATE PARTICIPAM DE AUDIÊNCIA EM BRASILIA

22.04.2015

 

O presidente do Conselho Nacional de Ética da Fenate, Marco de Franchi, e o Presidente do Conselho Fiscal Carlos Florêncio estiveram em Brasilia para participar de uma audiência, ação que o Sindicato dos Terapeutas do Estado do Rio Grande do Sul protocolou no Ministério Público do Trabalho em Brasilia pedindo desconstituição da Fenate e repasse dos seus patrimônios para o SINTER-RS. Uma atitude, no mínimo, sui gêneris.

Diretores da Fenate e Dra Lindinalva, advogada da Fenate, chegando ao Tribunal do Trabalho

Desde 2007 a Fenate vem sofrendo uma série de perseguições e denúncias que visam barrar a caminhada e trajetória de lutas pela categoria dos Terapeutas no país.

Foram vários processos protocolados no Ministério Público do Trabalho, todos com o mesmo objetivo e praticamente o mesmo texto de denúncias.  Um deles protocolado em 2007 foi investigado pelo MPT por dois anos, sendo arquivado por falta de provas contra a atuação da Fenate.

O processo atual  foi mais longe. Uma vez que as tentativas antecedentes foram frustradas, desta vez o SINTER-RS, na pessoa de sua presidenta Julia Rosa da SIlveira, apela para a justiça do Trabalho pedindo que sejam suspensas as atividades da Fenate, e que sejam repassados todos os patrimnios referentes aos sindicatos e terapeutas, o que caracteriza uma perseguição descabida e sem justa causa. Uma tamanha incoerência  na pretensão, quando requer a transferência dos associados da FENATE, para serem associados ao SINTER-RS, ferindo a Constituição Federal, uma vez que um sindicato não pode ser filiado de outro sindicato.

O que o SINTER-RS alega como irregularidade é que o processo de concessão de carta sindical da FENATE foi arquivado pelo MTE, no entanto, arquivamento este ocorrido apenas por falta de comprovação de alguns documentos, e não por irregularidade da pessoa jurídica.fato que não impede a FENATE de manter-se na ativa, inclusive, para trabalhar na composição da criação dos cinco sindicatos necessários para sua oficialização perante o MTE. A FENATE encontra-se em plena atuação, em trabalho intensivo e constante na organização de sindicatos, e por este trabalho desde 2006  conseguiu a liberação das cinco cartas, sendo a última justamente do SINTER-RS, que decidiu afastar-se, impedindo assim da Fenate pleitear seu registro perante o MTE.  No entanto, pela seriedade do seu trabalho de dez anos de atuação, a Fenate em breve estará com as 5 Cartas de sindicatos estaduais, o que certamente chegará à concessão da tão sonhada oficialização para cada vez mais amparar, conduzir, orientar e defender a categoria profissional de terapeutas.